Saturday, June 02, 2012

A graxa

...
A graxa é um instituição nacional aprendida nos bancos da escola, o aluno mais querido do professor é o graxista, o jovem mais promissor nas jotas partidárias o graxista, o funcionário público ou empregado mais promissor é o graxista. A graxa é não só uma das qualidades mais apreciadas neste país como é também uma instituição nacional praticada ao mais alto nível. É pena que sendo tão importante para o funcionamento das instituições nacionais e para o relacionamento humano e organizacional não tenha sido ainda devidamente estudada por sociólogos, gestores, cientistas políticos, psicólogos e até por médicos ortopedistas pois, como se sabe, deverá haver uma forte correlação entre a graxa e a grande incidência de bicos de papagaio.
...

In O Jumento; o artigo completo aqui

1 comment:

José Freitas said...

Dia de Portugal, quando está a ser governado por ordens de estrangeiros. Pouco difere da época de 1580 a 1640!
Tivemos o azar de não jogar nada até sofrermos o golo.
Na primeira parte estivemos a ver os alemães a jogar, que até jogaram bastante mal, passes errados para a área de Portugal, péssima finalização, caso contrário tínhamos sido goleados. Pepe rematou quase bem e Suíça 5 – Alemanha 3.
Só começamos a jogar quando sofremos o golo, mas já não havia tempo. A pergunta que se coloca é esta. Por quais razões não começamos a jogar logo no início do jogo, como a Suíça, que lhes ganhou por 5-3?
É interessante o blog.
O excelentíssimo António Borges quer que os salários de fome passem a ser salários de muita fome. Mas ele ganha um salário muito interessante e é mais um «moralista».
O LAZER É ÓPTIMO, O PIOR É QUANDO FALTA O SUBSÍDIO DE FÉRIAS.
Um programa recente da SIC Notícias disse mentiras sobre o caso «Equador», que tem frases inteiras copiadas de «Cette nuit la liberté».
MST é um «moralista» anti-Esquerda.
É sempre bom conhecer melhor um «moralista».
A Censura anda muito activa nos comentários dos blogs. Espero que deixe passar este comentário.
Em www.anticolonial21.blogspot.com está a verdade inconveniente sobre a cópia de partes de «Cette nuit la liberté» por Miguel Sousa Tavares para o livro «Equador».